Dia das Crianças diferente! Quem topa?
10 de outubro de 2016
Dia Internacional da Síndrome de Down
21 de Março de 2017
Mostrar Todos

Volta às aulas!

O ano letivo escolar 2017 começou e alguns pais já estão com as mãos na cabeça prevendo o que acontecerá no final do ano.

Apesar de mal ter iniciado as aulas, há mães e pais que estão preocupados com o desempenho escolar dos filhos. Não que não devam. Muito mais, que se tornarem futurólogos do que acontecerá com os filhos é preciso oferecer condições para que as previsões catastróficas não se realizem.

Neste sentido, é importante que mães e pais tenham claro qual é seu papel na vida escolar dos filhos. E qual é esse papel? O primeiro é matricular e fazer que o filho ou filha compareçam à escola, com o mínimo de ausências possível nas aulas. Também vale lembrar que chegar no horário faz parte da responsabilidade dos pais. Outra questão importante é estabelecer uma rotina das atividades desta criança, ou seja, além da escola, essa criança faz alguma outra atividade extracurricular, se faz psicoterapia, fonoaudióloga, natação, dança, música, inglês, artes ou qualquer outra atividade, que normalmente, é feito no horário contrário ao da escola? Se sim, isso deve ser claro não somente para os pais (e aqui a mãe e o pai devem ter isso claro), também deve ser informado à pessoa que cuida da criança (babá, avó, tia ou outra pessoa) e dentro do possível, deixar essa rotina em um local visível para todos, inclusive para a criança (que tal a porta da geladeira da casa).

Outro papel importante é sobre as tarefas escolares que devem ser feitas pelas crianças e não pelos pais. Cabe aos pais propiciar o lugar adequado, estabelecer o horário de tarefas e os materiais necessários para a realização da tarefa pelo filho. Se a criança está fazendo certo ou errado, não cabe aos pais corrigirem e sim ao professor, pois assim este poderá saber quais são as dificuldades da criança e poder ajudá-la.

Essas atividades todas não devem sobrecarregar o dia de uma criança, pois ela precisa de tempo livre para não fazer nada ou fazer o que ela quiser. Isso é importante. Atualmente, as crianças estão sofrendo de estresse e depressão pelo excesso de atividades que realizam durante o dia, como se fossem adultas. Com o passar do tempo, há crianças que não querem mais fazer nada, pois tudo se tornou uma obrigação. Além de que, tudo o que ela faz deve ser a melhor entre todos, não pode ser ela mesma, não tem nem a opção de se divertir enquanto faz uma prática esportiva.

Claro que os pais sempre buscam o melhor para seus filhos, querem que eles sejam felizes e tenham sucesso na vida, mas não é enchendo o dia de uma criança com atividades que fará com que eles sejam os melhores nos futuros.

Ensinar disciplina de maneira equilibrada é mais útil do que simplesmente obrigar a criança fazer um caminhão de atividades, onde ao final do dia ela está exausta, chega em casa dorme e nem reconhece o espaço em que vive, sua casa, bem como, não tem o que é o melhor remédio para muitos dos problemas dos filhos, convivência com os pais.

Pensem bem antes de encher a agenda de seu filho de atividades, isso pode ser um tiro no pé no futuro.

Bom ano letivo a todos!

Valéria Santos Ribeiro
Valéria Santos Ribeiro

Coaching familiar, com especialização em psicologia, cursando Terapia Familiar Sistêmica. Doutora em Política Científica e Tecnológica, Mestre em Administração, Practitioner em PNL e possui formação com o renomado escritor e conferencista internacional Anthony Robbins. Participou em diversos cursos de desenvolvimento pessoal e fez especialização em Gestão de RH. Trabalhou por 20 anos na área de treinamento e desenvolvimento. Casada há 17 anos, é mãe de um casal de filhos, um menino de 16 anos e uma menina de 13 anos.

Comentários

Obrigado pelo comentário.