Que tipo de relação existe entre você e seu(ua) filho(a)?

Lutos da Adolescência
13 de Abril de 2015
A infelicidade que as Redes Sociais Geram Inconscientemente nos Adolescentes e Jovens
25 de junho de 2015
Mostrar Todos

Que tipo de relação existe entre você e seu(ua) filho(a)?

Que tipo de relação existe entre você e seu(ua) filho(a)?

Atualmente são muitos os questionamentos sobre a relação entre pais e filhos. Muitos pais na ânsia de ter o amor de seus filhos acabam tendo um nível de relação insatisfatório, para ambos. Entretanto, para saber em que nível de relação está temos que conhecê-los.

Você conhece quais são os três níveis de relação que existem? A seguir vou te explicar quais são eles:

  1. Relação primitiva: é a relação que ocorre com os bebês, ou seja, é aquele onde o bebê só é feliz quando dá a ele o que quer. Esse é um amor limitado e manipulador. Há muita birra. Nesse tipo de relação um sempre vai ceder às necessidades do outro que se considera o centro.
  2. Relação de barganha: é a relação onde você dá algo somente se outro der algo em troca, “se você não me dá eu também não te dou”. É uma relação mercantil ou de compra.
  3. Relação de doação: é o modelo de relação que se doa sem esperar nada em troca, é incondicional. É preciso maturidade para viver este tipo de relação, pois tudo o que você fizer ao outro, não se esperará nada em troca, é doação mesmo.

Nós ouvimos que mães tem uma relação de amor incondicional por seus filhos, que transcende. Isso é verdade, mas temos ouvido e visto que na verdade muitas relações entre pais e filhos estão, normalmente, situadas nos dois primeiros níveis. Hoje as crianças e adolescentes têm vivido um amor primitivo, de bebê, e passam o tempo todo manipulando os pais para darem tudo o que eles querem, e o pior é que os pais se submetem a isso e satisfazem todas as vontades dos filhos, com medo de não serem amados, pela culpa de não estarem com eles e por estarem preocupados correndo atrás do que chamam de uma vida melhor para os filhos. Será isso mesmo? Ou será que você está correndo atrás do que é bom para si, do que é seu sonho? Não que isso seja errado, mas é preciso ter equilíbrio na gestão do tempo do que é importante em nossas vidas.

Também vivemos muito a relação de barganha, onde só dou aquilo que você me dá, é uma relação “a base de troca”. Quanto você pai e mãe tem se sujeitado aos caprichos do seu filho? Onde há um pedido seu ele diz: “só faço isso se você me der aquilo”, você está se sujeitando a uma relação de barganha. Não vou dizer que isso não acontece com meus filhos. Vou contar uma história. Minha filha tira notas boas na escola e houve um tempo que ela começou a dizer que a cada nota boa que tirava merecia ganhar alguma coisa. Eu simplesmente expliquei a ela que não tinha que dar ou pagar nada pela nota dela, pois tirar notas boas faz parte da responsabilidade dela e que, eu daria parabéns pelo esforço e dedicação que ela teve com os estudos, mas não pagaria pelas boas notas.

Convido você mãe e pai a repensar sua relação com seus(uas) filhos(as), qual tipo de relação você tem com eles? Pois, o que você vive junto a eles é reflexo do tipo de relação que você estabelece, por vezes, é preciso mudar algumas atitudes que temos como pais para que a relação suba de nível.

Valéria Santos Ribeiro
Idealizadora e Criadora do Projeto Filhosofia

 

Valéria Santos Ribeiro
Valéria Santos Ribeiro

Coaching familiar, com especialização em psicologia, cursando Terapia Familiar Sistêmica. Doutora em Política Científica e Tecnológica, Mestre em Administração, Practitioner em PNL e possui formação com o renomado escritor e conferencista internacional Anthony Robbins. Participou em diversos cursos de desenvolvimento pessoal e fez especialização em Gestão de RH. Trabalhou por 20 anos na área de treinamento e desenvolvimento. Casada há 17 anos, é mãe de um casal de filhos, um menino de 16 anos e uma menina de 13 anos.

Comentários

Obrigado pelo comentário.